Desventuras insólitas e sei lá...

quinta-feira, janeiro 22, 2009

Modéstia

Dois amigos me disseram que estou sendo superficial em minhas críticas de cinema no blog e tal. Eu sei que fui eu quem começou a briga não usando os pronomes de tratamento adequados. E que devo parecer abusado listando os filmes e falando deles de forma tão sucinta e às vezes só falando se gostei ou não. Listar filmes que tenho assistido é a idéia manifesta dos posts, não é para fazer pose, tem filme que eu nem falei se gostei, só falei que assisti, o blog é autobiográfico e, como eu disse antes, tenho assistido muitos filmes nestes dias ociosos. Disseram basicamente que estou sendo superficial, que não tenho autoridade, que preciso conhecer mais de Godard. Acho que o problema é que avalio rápido, em um post eu falo de muitos filmes. Mas chegaram a citar alguns filmes que eu interpretei com negligência. Um falou que eu não soube analisar o Rambo, que o filme é a aventura de um herói que nos faz pensar em nossa existência (foram estas as palavras dele), que mesmo uma idéia rebuscada pode ser transcrita em uma linguagem simples. Bem... (risos) Ele me confessou depois que estava um pouco bêbado no dia que conversou comigo no msn. A outra pessoa falou que eu não entendi o [Rec], que é uma parodia ao cinema, filme muito inteligente e "conceituadisssiiiiimmmmooo". Esses filmes inteligentes são problemáticos! O Egle Eye dizem que também faz referencia a um monte de coisas do cinema, o que para mim parece uma tentativa de enganar os um pouco mais espertos. Além de que algumas vezes existem "empréstimos" artísticos com objetivos mal intencionados que estão mais para cafajestagens e roubos artísticos. E não sei, [Rec] me parece um filme de terror "normal". Engraçado, fizeram uma versão americana dele. Não, não é ironia minha! Foi exatamente isso que aconteceu. Pagaram os diretos, modificaram um pouco o roteiro e refilmaram o filme. De toda forma vou procurar ter um pouco mais de cuidado e eufemismo em minhas críticas, às vezes posso viajar na maionese. Ainda bem que não falei sobre o filme do Batman, se falasse mal do cavaleiro das trevas teria muita frustração!

Não tenho conhecimento profundo sobre os diretores, opinião dos críticos, prêmios e tal. Provavelmente vou começar a ter isso a partir de agora graças à pirataria. Para ser sincero só depois de elogiar no blog o Onde os Fracos Não Têm Vez (No Country for Old Men) fui saber que ele tinha ganhado Oscar. Eu costumava confundir o nome desse filme com o de outro, provavelmente já tinha visto por ai que ele tinha ganhado e não reparei bem. Contudo acho que tenho boa percepção para cinema - sei que posso me arrepender desta imodéstia mais tarde.

Tem amigos que pensam que sou quase um intelectual. O conhecimento é ótimo, mas estou mais para ignorante que para culto. Eu leio muito pouco, um ou dois livros por mês. E isso porque eu conto com muito tempo de sobra, tenho dificuldade com leitura, imagino que leia mais lento que grande parte das pessoas que acessam este blog. Sei pouco de história, sairia mal em uma prova de vestibular. Nunca posei de intelectual, isso é confusão que fazem. É que eu não assisto TV; não suporto novela; desde criança não gosto de futebol; sou ateu; não aceito certos discursos. Essas coisas que fazem minha fama para alguns de intelectual e para outros de pedante. Eu não sou intelectual e nunca fingi ser um, eu sou um gênio.

2 comentários:

leitora disse...

analisando "profundamente"...
1 - 1 ou 2 livros por mês já é mais que a média da população;
2 - se tem algum verdadeiro crítico de cinema por aqui, tá fazendo o que aqui?
3 - "Rambo" realmente é de um valor antropológico incalculável, quando se tem 10 anos de idade;
4 - ter uma crise de riso no "Scoop" quando o personagem do WOODY ALLEN se acidenta de carro é sinal de muita inteligência;
5 - não se apoquente, tem muita gente invejosa neste mundo de meudeus;
6 - você é um gênio! e
7 - vamos continuar esta conversa superficial sobre cinema.

Luiz Felipe Leal disse...

vc é pedante.