Desventuras insólitas e sei lá...

sábado, fevereiro 28, 2009

Velho

Eu sou velho, velho, muito velho, extremamente velho. Estou feio e acabado. Não tenho mais paciência para revolta adolescente, para otimismo romântico ou esse pessimismo niilista. Não venha me dizer quem sou, como sou, como devo ser. Não venha me ensinar, não venha me corrigir. Eu sou velho, daqui uns dias virá a esclerose múltipla. Eu manco, eu reclamo, ninguém me entende, nem os ateus, nem os artistas, muito menos estes pessimistas. Ninguém percebe a verdade que aprendi com as batalhas e com o sofrimento. Ninguém entende minhas piadas, ninguém entendeu meu charme, meu ritmo lento e nervoso. Não tenho mais paciência para festa, para sorrisos, para porcarias. Isso não é carência, não é fraqueza. É a arte e o cansaço de um velho ancião muito velho!

3 comentários:

leitora disse...

só os sortudos envelhecem...
os outros morrem cedo.

pollylyra disse...

prefiro morrer cedo e ser sempre lembrado que ser esquecido em vida ainda...com nao sei quantos anos.

Rafael disse...

Sou um bule. Ninguém me entende.
obs. cópia do leo.