Desventuras insólitas e sei lá...

segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Turma

Eu queria postar sempre. Na verdade, tenho postado bastante sim, mas estou querendo postar mais. Exercitar a escrita é bom, melhora muito a escrita. Só que eu estou sem assunto. Vejamos, quais são os problemas que tem me afligido ultimamente? Estou ficando louco, acho que estou triste. Falta dinheiro, falta o curso superior, queria ganhar grana, ter minhas coisas, igual aos meus amigos, no entanto estou morando com a "mamãe" nesse quarto mofado e sujo. Preciso viajar, conhecer o mundo. Este texto não está ficando muito legal, está um lixo. Lá vem eu de novo com a minha ciclotemática. Um dia eu escrevi um post aqui sobre tristeza, mas não publiquei, um dia eu mostro para vocês.

De toda forma este texto - que merda! - vai render alguma coisa. Não sei do que falar...

imagem por bastet

Sei nada sobre o festival de Jazz, leitora. E eu não sou péssimo jogador de basquete, Chiquinho. Eu sempre fui bom, muito bom, médio, relativamente médio para legal. O radinho do seu blog, Thiago, está funcionando sem problemas. Caro Luiz Felipe, cuidado com a língua. Thais Correia, não diga "porra, que merda", porra! Meu texto não é sobre como é divertido falar palavrões e sim sobre a merda que é quando se apaga o texto sem querer. É muito feio ficar xingando! Lembram quando eu falei que tinha feito uma grande poesia que um dia ia postar se me desse na telha? Então, essa poesia é a Dia de Inspiração que publiquei a pouco tempo. Um amigo me disse que eu sou a leitora, leitora é um pseudônimo que uso para me comentar. E faz muito sentido, me deixou encucado! O problema é que de certa forma eu precisaria ter dupla personalidade e eu não tenho isso. Essa personalidade minha, pelo menos, não tem.

No post anterior eu falei que fui duro com o João. Isso deixou o João grilado porque de acordo com ele eu fui super legal. Então ele pediu para que eu tirasse o nome dele do blog, mas eu disse que não estava afim. Na verdade não é que eu fui duro, é que eu empolguei, apelei e exagerei. O João ficará putíssimo por eu estar falando sobre ele de novo, ele deletou o blog dele, não gosta desta exposição. Por isso acho que vou apagar tudo isso que escrevi até agora. Ou senão intitular esse texto de João.

Eu preciso começar a falar sobre coisas, ter assunto, isso é urgente, porque se não vou me viciar em falar sobre essas coisas nenhumas e não vou conseguir parar. Eu preciso, eu preciso, eu preciso, eu preciso, você precisa, leia na minha camisa! Baby, i love you! Baby! Baby! Estou ficando divertido, isso é bom, preciso de diversão, porra!

Sobre anteontem, quando eu disse que estava escrevendo rodeado por tucanos foi o seguinte: eu estava com um notebook no chalé da minha tia usando uma dessas internets que tem agora dessas operadoras de celular, e então apareceram três tucanos numa arvore lá, não, eu não estava falando de partidários do PSDB e sim de tucanos de verdade. É uma cena cinematográfica, um grande escritor em meio à natureza do Centro-Oeste publicando seus textos através de um notebook e então surgem tucanos.

E falando em aves, eu vou para o Peru. Terceiro Mundo, América do Sul, eu morro de medo. Tem ladrão, violência! Mas minha mãe vai, droga, estou tão triste com isso! Merda, estou com medo de ela ter descoberto meu blog, agora não posso falar mais nada! O blog vai perder todo o desespero criativo! Estava planejando com o Rafael viajar, minha mãe ouve e decide que vai aproveitar a passagem em promoção também, a viagem é para junho. Toda vez que eu quero ir no Goiânia Ouro, minha mãe está lá, eu já estava grilado com isso. Mas essa viagem era para ser uma grande farra insana, uma epopeia alucinada. E agora vai ser só fotografia de arvore, de poste, de loja. Eu devia levar isso de boa, eu sei, eu sei, mas eu estou triste de verdade. Eu nunca viajei para o exterior, e eu estava planejando com o Rafael, e ela decide que vai. Eu sei, eu sei, não tem nada de mais, não tem nada de mais...

6 comentários:

brasil disse...

Essa questão de você postar sempre alguma coisa é complicado, pode talvez cair em sequências de posts pouco inspirados, pra não dizer forçados. Até agora acho que vem se saído bem com o que tem escrito. Pode ser uma questão de exercitar, sei lá.

Voltei a colocar alguma coisa no blog com a intenção de escrever mais nem-sei-o-quê também, mas poucas vezes escrevo algo que acho publicável. Então ficam mais referências a coisas interessantes que vejo, mas nada que passe de algumas linhas de de um comentário que pouco acrescenta. Você tem escrito coisas bem melhores, ainda que não o tenha feito no volume/frequência que deseja.

Tenho achado muito interessante acompanhar o Saramago, cuja página descobri faz pouco. Ele posta textos sucintos com relativa frequência - quase diária até - , e que têm a sua habitual densidade, mesmo quando o tema não ajuda. Creio que a vivência dele, um senhor muito lúcido no alto dos seus 86 anos (segundo a wikipédia) faça muita diferença nesse ponto. Mas parece ser um bom norteador.

Bons tempos os do Sr. Bobo. Era mais fácil.

leitora disse...

como assim, leléo? alguem disse que você sou eu? eu sou você?...hahauaaaaaaaa somos tão parecidos assim? nossa forma de escrever? gente que legal alguem pensar isso! mas não! avise aos navegantes, aliás, quem quiser tecer teorias conspiratórias sobre as identidades anônimas, faça-as à vontade! esse blog é um dos unicos contrários à censura, por isso o meu apego...e não... não sou ele e ele não sou eu..hehehe... e há quem saiba quem sou... tenho certeza!

p.s - about JAZZ...I'll be there!

Rafael Mendonça disse...

Você é sim, um péssimo jogador de basquete.

Renato Mendes disse...

A falta de assunto é o pior de todos os assuntos.

Thais Correia disse...

Leonardo Priori, não diga "porra!" Meu comentário não é sobre como é divertido falar palavrões e sim sobre a merda que é quando se apaga um texto sem querer.

José Lindomar disse...

KKKKKKKKK! Realmente Leo, viajar com a mãe à tiracolo é dose... Só de pensar nisso sinto vontade de engolir um Prozac em sua homenagem...rssrss...Eu mesmo gosto muito da adorável viúva de meu pai, mas viajar com ela, nem pensar....Se vc não tiver apenas tirando "umas", é mesmo muito azar...