Desventuras insólitas e sei lá...

sábado, março 28, 2009

Louco

Uma frase, uma idéia que surgiu do nada na minha mente. Um impulso estranho me fez pensar: me mata, por favor. Uns dias depois aconteceu de novo. E de novo. Um estranho desejo de sangue. Cada dia mais freqüente. Deixa eu morrer! Deixa eu morrer! A coisa foi se transformando. Deixa eu te matar, pensava! Deixa eu te matar! Por que? Por que? A voz na minha cabeça perguntava se lamentando. Um dia peguei uma bela e grande faca e a levantei teatralmente. Outro dia dei socos no ar, apontei o dedo e encarei um espaço vazio. Eu estou me transformando, estou me perdendo. Tenho andado mancando, urrando como um animal, eu sou louco! Se assustem, Senhoras e Senhores, este sou eu.

Um comentário:

Rafael Mendonça disse...

Nahhh.. isso tudo porque poucos comentam no seu blog!

auahuahau