Desventuras insólitas e sei lá...

quarta-feira, maio 27, 2009

Cimento de Homem

O homem é de cimento
E é cinza
Cimento, areia, água, mãos e ar
Cimento é feito de onde se tira cimento
Cimento é feito de abismo
De chão sem chão
De matéria que se vai
De coisa que cai e não acorda
E o chão é desejo
E é lua
O chão, morte e parto
A morte tem cheiro de manhã
Cai a noite e ela tropeça
Nos chinelos que cultiva
Chuva vai e crê
Chuva ama e cria
Em um modelar que não vem
Que sempre não
Acima de mim
Abaixo do abismo
Distante aqui
Cimento é areia e mar
Cimento ladra e não morde
Cimento se mente
Se mete de homem
Sim e homem
De vento
e nunca

Nenhum comentário: