Desventuras insólitas e sei lá...

domingo, maio 10, 2009

Os Olhos da Natureza

Não acredito em nada disso. Nada que foi dito ou que é dito. A vida é outra coisa, a vida é uma substância líquida, esverdeada e tem cheiro de isopor. Caminhando pela praça certa noite vi uma coruja me olhando com aqueles olhos de coruja. Isso muito me disse sobre a condição do ser humano frente a uma coruja em uma praça a noite. Aqueles olhos diziam: sim, sim, caro sonhador, estou aqui, eu existo e sou um olho de coruja.

Alguns dias atrás um outro fato interessante me ocorreu. Eu estava passeando pelo bosque colhendo aspargos e tomates quando uma cobra chocalhenta levantou o pescoço como se preparasse o bote e me encarou. A sua face estava na altura da minha e ela foi chegando perto, perto até ficarmos olho a olho e a poucos centímetros de distância um do outro. Então eu tremendo de medo a perguntei: o que você quer de mim? E ela me respondeu: a realidade vai te pegar ainda, meu jovem! E sumiu rapidamente sem deixar rastros.

É engraçado essas coisas que acontecem! Quando menos se espera um fato fantástico vem, nos deixa perplexo e depois nos abandona. Como alguém pode acreditar em Deus sendo que vivemos em um mundo tão fascinante? Acreditar em deuses é um desrespeito à Mãe Natureza.

Um comentário:

Thais Correia disse...

você falou mau dos panteístas uma vez.