Desventuras insólitas e sei lá...

quinta-feira, junho 10, 2010

Deus Veio Aqui em Casa Ontem

Deus veio aqui em casa ontem. Ele tocou a campainha e eu fui lá.

— Leonardo!
— Eu! Perai que eu vou abrir!
Fui lá e abri pra ele. E ele já foi direto ao assunto. Na lata!
— Que história é essa de você dizer por aí que eu não existo?
— Que? Eu nem te conheço.
— Claro que me conhece. Eu estou em todos os lugares, meu rapaz!
— Ah, cara!
— Eu sou Deus, porra! E você além de não acreditar que eu existo fica incitando o povo a não acreditar também. Isso é muita falta de consideração, jovem!
— Agora eu to meio ocupado com uns negócios ali. Depois agente conversa. Falou!
— Você tá ocupado pra Deus?
— Se você é O Homem faz uma mágica, aí!
— Como assim?
— Faz uma mágica, uai!
— Tá! Tá! O que você quer que eu faça.
— Sei lá, faz aparecer um elefante aqui no meio da rua.
— Abusadinho você!
— Uai! Se você é Deus, faz aparecer um elefante.
— Mas isso vai assustar os vizinhos. Imagina o que eles vão pensar vendo um elefante aparecer do nada no meio da rua. Isso não vai rolar não. Pede outra coisa.
— Hum... Faz aparecer cem reais no meu bolso.
— Pronto.
— Caraca!!!!!! — A nota realmente tinha parecido no meu bolso. Na hora pensei que aquilo deveria ser um tipo de pegadinha e olhei para os lados procurando uma câmera escondida. — Como você fez isso?
— Eu sou Deus. — Ele falou cheio de pose.
— Nem tanto! Nem tanto!
— Pede outra coisa.
— Adivinha o número que estou pensando.
— Então pensa em um numero.
— To pensando.
— Está pensando? 23!
Olhei meio desconfiado, não estava acreditando no que estava vendo.
— E agora?
— 32, 51, 47, 1517.
— Faz a minha calça mudar de cor.
E ele fez. Parecia um sonho. Eu estava assustado e admirado.
— Caraca! Você não quer entrar?
— Quero sim, meu jovem. — Ele parece mais alegre agora.
— Quer tomar alguma coisa? Um cafezinho?
— Não, não. Não tomo café.
— Ah, sim! Claro! — Fiquei sem graça de ter oferecido café para Deus.
— Não sou muito fã de café.
— Tem suco!
— Não, obrigado. Mas como eu ia te dizendo. O negócio é que você está falando por aí que eu não existo. E como você sabe isso é um pecado grave.
— Você é mesmo Deus?
— Claro que sou. A sua calça não está vermelha agora?
— Sim, mas e se você for o diabo?
— O diabo não consegue ler a mente das pessoas.
— Mas eu vi um homem na TV que descobre o número que as pessoas estão pensando.
— Sim, mas este homem conseguiu transformar a sua calça em vermelha?
— Bem! Você tem um bom ponto. Mas você pode ser o diabo. Quer dizer, como o cara da TV consegue descobrir o que as pessoas estão pensando e o diabo não pode?
— O diabo pode desconfiar do que você está pensando melhor que muita gente. Mas ler a mente mesmo ele não pode.
— E quem disse que ele não pode?
— Meu jovem! Ele não pode. Todo mundo sabe disso. Pode perguntar pra um padre ou pra quem você quiser.
— Não sou muito chegado em padre.
— Olha. Eu posso ser Deus, posso ser o diabo, posso ser mágico de outro planeta. Você pode me chamar do que você quiser. Eu só quero que você me respeite. Que entenda que este mundo é maravilhoso.

Neste momento eu tive uma iluminação. Ele era Deus. Deus de fato. Em pele de homem, mas ainda assim o criador, o arquiteto de todas as coisas, o magnânimo, o magnífico, Deus, aquele que é.

— Deus! — Olhei assustado. Não sabia se ficava super alegre ou o quê. Dei a mão para ele. Ele me cumprimentou. Beijei a mão dele. Ele riu e disse:
— Calma! Calma!
— Eu acredito em você. Eu acredito. E vou contar para todos que você existe. Não se preocupe. Amanhã mesmo vou escrever uma parábola no meu blog contando o nosso encontro.
— Ótimo, meu jovem. ... O seu quarto é aqui?

Ele abriu a porta do meu quarto e entrou. Fui entrando atrás dele e quando olhei ele já tinha desaparecido. E pior é que os cem reais que ele fez aparecer eu não consigo mais encontrar.

4 comentários:

leitora disse...

Deus falando: "isso é muita falta de consideração, jovem!" é muito bom! huahuahuaaa

Mara Soares disse...

kkkkkkkkk! apesar da eresia, ficou ótimo e com certeza ele está mais próximo do que imaginamos. Essa história de botar ele em um trono no céu já era. rsrsr amei vc. bjão.

Henrique disse...

Maneiro o texto, Priori.

Henrique disse...

Maneiro o texto, Priori. Cheguei aqui por acaso, por um link no Twitter. Depois aparece aqui no Idéias Erradas: http://ideiaserradas.wordpress.com - Abraço.