Desventuras insólitas e sei lá...

terça-feira, maio 24, 2011

Charada

Resolver a charada que vai te fazer melhor
Somar, dividir e ler o máximo de livros
Encontrar a resposta
Escondida em um sábio
Que não parece sábio e mora na rua
Viajar para um lugar diferente
E compreender o ritmo do mundo
Seguir um ideal de negação retrô a la boemia
Estourar a garganta em espasmos nervosos
Que refletem o desespero perante tudo
Desistir mais uma vez e se sentir cansado
Todos os desejos do mundo e nenhuma coragem
E essa eterna busca pela resposta da charada que não pode ser dita
Essa eterna superstição de que encontrando a resposta se tornará feliz

Um comentário:

Rainer Marco Silva disse...

Muito bom! Gostei quando você diz: "Estourar a garganta em espasmos nervosos". Você poderia escrever, de puder, uma poesia começando com - É no silêncio que ouço os gritos -
Acho que é um bom começo para uma poesia, se puder escrever algo que remete a essas palavras ficaria feliz. Abraço...