Desventuras insólitas e sei lá...

quarta-feira, julho 20, 2011

Hora Destas

É nestas horas
Horas muito parecidas a estas
Que a coisa pergunta
E a interrogação se aloja
E se espalha e me domina
E me golpeia com uma exclamação
Mais triste que reticências
Que entorpece
E me atrapalha a vista
E chia nos ouvidos
E me diz que não
E não sai do meu pé
Eu tento me esquivar
Tento me lavar
Mas cansado sedo
E ela grita
E me ofende
Me fere
Até que como por um tédio
Da ordem natural das coisas
Vai se embora
E me deixa em paz
Feliz novamente
Sem muito o que fazer

Nenhum comentário: